Conheça a importância do virtual patching

Um dos grandes desafios no fornecimento de software tem relação com as atualizações de segurança, correções e melhorias dos sistemas, conhecido como patchs. Eles podem ser disponibilizados visando a correção de bugs, atualizações de políticas de segurança e até mesmo uma adequação de requisitos de software.

Mas o desenvolvimento, a liberação e a distribuição de patches não é uma operação simples e quando não planejado corretamente, tem um potencial de causar grandes impactos negativos para as empresas. Por isso, o patch é motivo de grande preocupação para gestores de TI.

A solução para este grande desafio ligado ao gerenciamento de patches está no uso do virtual patching. Seu objetivo é auxiliar no processo de atualização dos patchs liberados pelos fabricantes, otimizando o trabalho dos times de TI e tornando o processo mais seguro.

 

A importância do Virtual Patching

Um bom exemplo para entender o conceito do virtual patching, sua importância e impactos, é lembrar dos incidentes ligados aos ataques de ransomware que ocorreram recentemente.

O ataque cibernético teve como alvo brechas de segurança que já tinham sido corrigidas pela Microsoft, mas que a aplicação dos patches não tinha sido realizada, causando grandes prejuízos e transtornos para diversas empresas ao redor do mundo.

O Virtual Patching é o desenvolvimento e a implementação, em um curto espaço de tempo, de políticas de segurança destinadas a corrigir e evitar que falhas e brechas de segurança sejam exploradas como resultado de uma vulnerabilidade descoberta por hackers.

Quando efetivo, os patches de correção impedem que a segurança da informação seja comprometida, evitando ataques virtuais através do código fonte de um software. O objetivo é alterar ou eliminar a vulnerabilidade de um aplicativo afetado por um ataque ou prevenir seu potencial risco.

 

O impacto de um ataque hacker para as empresas

Os ataques cibernéticos ocorrem de diferentes formas e camadas dentro de uma arquitetura de tecnologia, mas nos últimos anos, tivemos grandes avanços na proteção pela segurança virtual e o uso de antivírus, firewalls e outros ativos de rede tem nos ajudado a garantir um ambiente seguro.

Entretanto, essa evolução também ocorreu por parte dos hackers, que passaram a buscar novas formas de realizar ataques virtuais, utilizando novas abordagens, ferramentas e técnicas que envolvem a participação dos usuários de forma involuntária. As brechas de segurança passaram a ser encontradas diretamente no código fonte de diversos tipos de aplicativos.

Com isso o impacto para as empresas tem sido devastador, além do comprometimento da segurança da informação e na privacidade dos usuários, os ataques virtuais tem causado grandes prejuízos financeiros e manchando a marca frente aos investidores, clientes e fornecedores.

 

Virtual Patching como importante aliado na garantia da segurança da informação

Muitas organizações correm contra o tempo para corrigir em seus sistemas vulnerabilidades que são descobertas e que elevam o risco de ataques digitais. Durante o processo de implantação do patch de segurança é preciso tempo para o planejamento e uma janela de manutenção para instalar um patch crítico de segurança.

Vale destacar que, o tempo gasto durante a implementação e aplicação de uma correção definitiva relativo a uma brecha de segurança, já é o suficiente para que ataques virtuais aconteçam e causem bastante prejuízo. O uso do virtual patching busca atender as primeiras ações corretivas e impedir invasões de forma mais rápida e efetiva.

Além disso, se a equipe de TI é pequena ou com tempo escassos, torna-se praticamente impossível realizar revisões, testes e instalação das atualizações sem deixar o ambiente vulnerável a um incidente de segurança.

A estratégia utilizada pelo virtual patching oferece várias vantagens em relação a instalação de um patch feito na forma convencional.

  • Protegeaos componentes de missão crítica e, portanto, as operações não são interrompidas durante o processo de instalação.
  • O uso dessa estratégia realiza rapidamente a mitigação do risco de uma exploração, até que um patch efetivo e permanente possa ser testado e lançado pelo fornecedor do aplicativo.
  • A empresa mantém seu ciclo de correção normal sem interromper operações caso ocorra o surgimento de novas vulnerabilidades durante o processo de instalação.
  • Um virtual patching pode ser instalado em um único ponto estratégico da organização e o processo de instalação pode ser compartilhado por toda a infraestrutura de TI da empresa.
  • Como as bibliotecas de código não são modificadas, é improvável que um patch virtual produza conflitos no sistema.

Não há dúvidas de que o Virtual Patching é uma solução extremamente valiosa, com alto potencial para reduzir o risco de ataques virtuais.

Saiba mais sobre o assunto e conheça a única solução do mercado que trabalha de fim a fim,  solução N-Stalker Cloud WAF, alcançando os melhores resultados em relação à segurança da informação da sua empresa.

FEV23

0

Como fazer análise de vulnerabilidade de aplicação

Publicado em 23/02/2018

A vulnerabilidade é o ponto fraco das aplicações e da infraestrutura de TI, por isso a importância de se ter um processo de gerenciamento de vulnerabilidade.

 

Vulnerabilidade das aplicações e infraestruturas

Vulnerabilidade é o ponto fraco das aplicações e da infraestrutura de TI. Ela pode ser uma falha em um código fonte, uma brecha na rede de dados por falha de configuração e até mesmo uma imperfeição dentro de uma política de TI, permitindo que pessoas mal-intencionadas realizem operações não permitidas ou roubo de dados.

Os ataques cibernéticos podem ser produzidos através de scripts, uso de aplicativos, SQL injection, Cross-site scripting, entre outros tipos de ataques de grande impacto para as empresas. Atualmente, a automatização dos ataques aumenta a capacidade do atacante de testar mais alvos em períodos de tempo menores, repetindo este procedimento infinitas vezes a espera de um deslize da equipe de segurança.

Esse tipo de ataque pode atingir usuários comuns, entretanto, o maior foco dos incidentes de segurança são nas empresas, onde os principais impactos estão ligados a prejuízos financeiros diretos (boletos e transferências financeiras) e indiretos (perda de dados ou de credibilidade).

Os danos à imagem acabam sendo ampliados já que tanto fornecedores quanto clientes tem a confiança reduzida no serviço ou produto ofertado, causando queda no faturamento à curto e médio prazo.

Porque toda empresa deve fazer análise de vulnerabilidade de aplicação

A análise de vulnerabilidade de aplicação é um processo que define, identifica e classifica as brechas de segurança (vulnerabilidades) em um software qualquer, ativo conectado a rede de dados e comunicações em geral. A análise de vulnerabilidade de aplicação atua na prevenção de ataques virtuais focados nas aplicações que os usuários utilizam como acesso a bancos, carrinhos de compra, consultas e cadastros na Internet. A análise de vulnerabilidade de infra-estrutura atua na prevenção de ataques virtuais focados nos vários ativos que compõem a base tecnológica onde as aplicações são executadas.

Para as empresas, a análise de vulnerabilidade de aplicação atua em importantes aspectos nas políticas de cibersegurança com os seguintes benefícios:

  • Define e classifica recursos de tecnologia, como rede e sistemas;
  • Atribui níveis de importância, riscos e impactos aos recursos de tecnologia;
  • Identifica possíveis ameaças para cada recurso;
  • Estabelece responsáveis para a correção das vulnerabilidades;
  • Fornece informação para o desenvolvimento de estratégias para lidar com problemas potenciais com base nos riscos e impactos;
  • Ajuda na minimização dos impactos em caso de ataques virtuais.

Caso se encontre brechas de segurança como resultado da análise de vulnerabilidade de aplicação é preciso tomar as ações necessárias, que podem ser preventivas ou corretivas. Para isso são utilizados profissionais e ferramentas especializadas em segurança da informação antes que a vulnerabilidade se torne uma ameaça real e cause prejuízos.

Como funcionam as soluções existentes no mercado

Com base em bancos de dados com informações sobre vulnerabilidades conhecidas, as soluções existentes no mercado buscam por brechas de segurança nas infraestruturas de hardware, software e serviços de tecnologia utilizados pelas empresas.

Além disso, fazem testes de penetração (pentesting) que podem ser automatizados ou realizados manualmente, executando a coleta de informações sobre o alvo definido previamente. O objetivo é identificar portas de entrada que podem resultar em ataques virtuais, o que aconteceu a pouco tempo em grandes empresas ligadas ao segmento de e-commerce.

Após o processo de análise de vulnerabilidades de aplicação e testes de segurança, todas as brechas de segurança encontrados são identificados e classificadas. Esta etapa inclui a avaliação das medidas corretivas e preventivas a serem tomadas pela empresa.

Solução N-Stalker Cloud WAF

Quando se trata de ferramentas para análise de vulnerabilidade de aplicação, é preciso ter certeza sobre a escolha da ferramenta correta.

Embora existam produtos que abordem áreas do ciclo de vida de gerenciamento de vulnerabilidades, um grande desafio é ter uma solução que forneça todos os componentes necessários para suportar um programa completo de gerenciamento de vulnerabilidades apresentando os melhores resultados.

Antes de decidir sobre uma ferramenta, você deve entender a capacidade de integração e funcionalidades da solução, considerando pontos essenciais ao processo de análise de vulnerabilidades de aplicação, tais como:

  • O gerenciamento de ativos
  • A cobertura de plataformas
  • A capacidade de agregar dados de fontes de vulnerabilidade
  • A compatibilidade com referências de vulnerabilidade de terceiros
  • A definição de prioridades
  • A existência de fluxos de trabalho
  • Facilidade de uso
  • Criação de relatórios

Entre várias outras importantes características e funcionalidades que devem fazer parte de uma ferramenta a ser utilizada como prevenção e correção de incidentes de segurança.

Um exemplo de ferramenta que possui o conjunto de características necessárias para garantir a segurança da informação em sua empresa é a N-Stalker Cloud WAF, uma solução única de software e serviços para o gerenciamento de vulnerabilidades em aplicativos web e ativos de rede.

A plataforma tem o objetivo de melhorar a eficiência do processo de segurança e governança para área de tecnologia da informação das empresas. Integrando a gestão da plataforma com as soluções de software e ativos de rede, os principais mecanismos de varredura e central de suporte especializado.

A solução N-Stalker Cloud WAF conduz a um avanço significativo no grau de maturidade da segurança da informação e governança em TI, com um mínimo impacto nos investimentos em tecnologia das empresas.

Como a natureza das ameaças está em constante evolução, o planejamento de gerenciamento de vulnerabilidades compreende um conjunto contínuo de práticas que devem ser atualizadas constantemente para garantir a efetividade no combate aos ataques virtuais e roubo de dados.

Conheça melhor a solução N-Stalker Cloud WAF, entre em contato com os nossos especialistas e faça já a gestão da análise de vulnerabilidades de aplicação e infra em sua empresa.

mariana briquet